domingo, 1 de dezembro de 2013

Dezembro


Dezembro é um mês agridoce. Ora um mês de festejo, ora um mês que me lembra mortes e em que faz anos que as mortes aconteceram. Morreram-me pessoas e coisas em Dezembro. A vida como eu a conhecia mudou em Dezembro. O primeiro Natal sem aquilo que partiu, o primeiro fim de ano sem isto ou aquilo. O fim dum ano, num novo começo de vida. Fazer a reflexão sobre o ano que passou, com uma morte tão recente.

Este Dezembro será diferente, será um mês de festejar o que tenho e lembrar com carinho quem partiu.
Neste Dezembro eu também sou diferente, sou alguém que já fez o luto, já aprendeu a viver feliz sem o que me fazia falta, sou positiva e sei que vai ser diferente. Vai ser um fim dum ano em que tenho muito para festejar. E tenho a coisa mais importante para festejar... a vida! Clichê ou não, aprendi a festejar a vida. E só aprendi isso porque vivi as mortes de Dezembro.
A morte não é má. Perder uma coisa não quer dizer que seja para sempre, porque apenas a perdemos como ela era até então, depois aquilo que morreu renasce melhor, diferente. Mas sim, morre na forma como a conhecíamos. Por isso, a morte pode ser boa e acrescentar muito em nós. Mais força, mais determinação e mais positivismos. Dezembro ensinou-me que a morte é um fenómeno necessário.

Este Dezembro vai ser apenas doce.

1 comentário:

  1. A vida tem sempre 2 facetas indissociáveis...acontece em tudo.

    Beijinhos

    ResponderEliminar

Cacatuquem praí :)