quinta-feira, 26 de novembro de 2015

A ti, qualquer pessoa que "assiste" à (minha) vida

Eu sei de onde vim, Não sei para onde vou. Tu não sabes nem uma coisa nem outra.
Sei que a vida não tem uma balança, onde num prato colocas os momentos positivos e no outro os momentos negativos e conforme o que pesar mais escolhes quem queres na tua vida. A vida mede-se com emoções, com momentos, com pessoas e toda a relação interdinâmica entre elas. Se alguém me faz sentir triste ou me magoa, não quer dizer que isso pese de igual forma com aquilo que me fez de bom, que me fez feliz. Não se mede em tempo, quantidade de tempo, se me fez mais infeliz durante mais ou menos tempo. Mede-se em intensidade. Mede-se no que sentimos e a intensidade com que sentimos. se no final o quanto alguém nos fizer feliz compensar e se sobrepor ao triste que nos fez ficar... quer dizer que a racionalidade, o 1+1, não se adequam às pessoas nem dá para somar felicidade e subtrair tristezas.

Talvez, por isso, se possa dizer que as relações são complexas. Sejam de que género forem. São relações, são histórias que se cruzam, não são "standardizadas", não são previsíveis e quem achar isso, não vive (as) relações, idealiza-as e provavelmente deita-as fora quando deixam de ser previsíveis e dentro do que é "normal".

Por isto também, ninguém sabe a história de ninguém, sabemos factos que nos deixam saber, não muito mais que isso. Não sabemos o que fica em cada pessoa, o que cada uma guarda daquela relação - se as tristezas, se as alegrias, se ambas, se nenhuma das coisas.

Vamos lá parar de julgar como se fosse tudo tão óbvio e literal! Como se espelhássemos tudo o que vivemos nos outros.

Somos todos bem mais que o espelho de alguém, bem mais do que espelham em nós!!
A nossa história, é isso, nossa. E é nada mais nada menos, do que aquilo que guardamos dela. Seja bom ou mau. Não vai ser a história de alguém igual à nossa. O que fica são as memórias, não o pensamento e o julgamento ilusório de quem assistiu e não viveu!

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Uma década da incerteza que é certa em nós

Faz (fez) hoje 10 anos que começaste a colorir a minha vida. Que lhe deste nova cor, não sei bem qual, sei que é forte e viva, outras vezes fica mais fraquinha, mas por cá permanece sempre viva!
Há 10 anos senti-me crescida - tinha um namorado, tu! Que responsabilidade!! Tinha que juntar dinheiro da semanada para te poder dar uma prenda no Natal, outra no aniversário, "se lá chegarmos" pensava eu. Sempre muito racional e com os pés na terra, erradamente, porque isso impede as pessoas de viverem porque sim sem porquês. Tinha perfeita consciência de que namoro de adolescentes dura quase quanto uma fase da lua.
E passaram várias fases da lua, várias fases de nós, várias etapas da nossa vida e nós continuamos aqui... juntos!
Não sei por quanto tempo (que seja sempre), não sei que mais fases vamos passar. Sei que vai ser difícil. Sem floreados ou palavrinhas bonitas, vai ser duro, vão surgir etapas que serão como ampulhetas - começar de novo! Mas nunca te esqueças - continuaremos a olhar a mesma lua!
Sei que o amor permanece sempre, porque é verdadeiro. Mas sei que a entrega, a vontade oscilam entre o "fica comigo" e o "fica comigo para sempre". Parecendo que não, é diferente.
Não temos a história mais previsível, nem a história mais encantada de sempre, mas temos uma história colorida com cor de amor, escrita sem ponto final, e ao som do bater do coração, umas vezes mais rápido outras vezes mais lento, Não temos uma melodia constante, mas a letra que retrata a nossa história é carregada constantemente de sonhos, vontade e amor!!
Por vezes, pensamos desistir, mas sabemos bem o dissabor de estar longe, de não partilharmos um sofá a ver um filme, sabemos o sabor de comer milka sem escolhermos os quadrados com  mais avelãs para dar um ao outro... e isso faz-nos voltar atrás. Isso e a vontade de estar perto! Porque esta é a nossa definição de amor, é o que nos retratará e um dia explicarei aos nossos filhos "amar é ter todos os motivos para ficarmos longe de alguém, mas querer estar ainda mais perto".

Entre ampulhetas que ditam os recomeços, és e serás sempre a minha escolha. A cada dia!!
Que seja sempre assim!

Aquele bocadinho não cabe em mim, nem em ti, mas engloba um nós perfeito! Somos aquele bocadinho, e amo-te aquele bocadinho!!!