segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Um enorme e sentido Fo**-**

Às vezes gostaria que o tempo parasse. outras que avançasse desmedidamente.
E saltando entre pensamentos aleatórios vou seguindo. Sem saber para onde e isso dói, dói porque tenho mente inquieta e desejo de seguir em frente, contudo sabendo para onde, seja um caminho mais rápido ou mais lento, mais ou menos doloroso, preciso de determinadas certezas.
Quero saber para onde vou!! Sei pelo menos com quem contar. Mas quero saber que magoas me esperam e por que conquistas vou ter de lutar. Pelo menos algumas.
A vida mudou, mas estagnou. E não está como eu quero. É como se uma ampulheta caísse, e na horizontal não deixasse cair o resto da areia, o tempo deixou de contar. O tempo sobra. E o que resta são pensamentos aleatórios. Escrita sem sentido. Desabafos abafados. Tempo que não passa e uma ampulheta parada. Gostava que o tempo parasse. Só não parou onde eu queria. Podia ter parado lá trás...