segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Do cansaço

Enquanto cresces, sonhas. Quando chegas à vida à adulta, não parando de crescer nem de sonhar, esperas a concretização dos teus sonhos. E eles tardam em chegar. Tudo se desmorona, tudo parece tão sem rumo, que o que escrevo prece um diário de uma adolescente.
As fases das perguntas, das dores de alma, fazem-me sentir pequenina e negra por dentro, sombria, fria. Crescer é bom, amadurecer mostra-te por onde queres ir, mas nem sempre consegues ir. Mostra-te quem queres por perto, E quem é dispensável ou já o foi, mas agora gostarias que não fosse. As vontades mudam, as perguntas também, as prioridades são completamente diferentes. Ainda bem.
Mas cansa, seres tão cheia de sonhos, tão cheia de vontades e certezas e nada se concretizar.
Cansa seres tão tu, tão decidida e determinada, e nada ser valorizado. Cansa dares de ti aos outros, e não veres reconhecido o teu valor. Cansa sonhar! Cansa pensar que desistir de alguns dos sonhos, é um caminho. Ficar presa nos sonhos... não é nada maduro. Mas nisso, eu nunca quis crescer!